Transition Towns: resiliência em busca de cidades mais sustentáveis

O que você faz pela sua comunidade? O que você poderia mudar na rotina do seu bairro? Quais atitudes suas poderiam tornar a vida em sociedade mais agradável, saudável e sustentável?

 

Se essas perguntas já rondaram a sua mente e, mesmo assim, você não sabe por onde começar, vamos apresentar um caminho. Um caminho não tão novo, mas com muito potencial e ótimos exemplos aplicados. Um caminho transformador, transmutável e transitável. Um caminho real! Vamos explorar as Transition Towns – ou, cidades em transição.

 

Cidades em transição: o movimento

Em 2004, o professor e entusiasta da permacultura Rob Hopkins cunhou o conceito de Transition Towns, em uma abordagem radical: criar sociedades totalmente independentes de combustíveis fósseis. Conhecido por muitos como o gigante gentil do movimento verde, Rob propôs reflexão complexa sobre as mudanças climáticas e estruturou o que seria o modelo de ideal de cidade.

 

A partir de uma vivência prática, na cidade de Totnes, na Inglaterra (falaremos dela mais adiante), o inglês passou a promover debates e lançou a versão piloto de uma cidade plenamente sustentável. É claro que sua ideia ganhou o mundo!

 

Os 12 passos para a transformação

Por meio de suas experiências práticas, Rob elencou o que seriam os 12 conceitos básicos que considera como iniciativas de transição. A partir dessas dicas, cada cidade possa adaptar ações ao seu cenário, abrindo os olhos para questões reais e cotidianas. São elas:

 

  1. Formar um grupo com direcionamento de transição;
  2. Desenvolver a consciência coletiva da comunidade;
  3. Estabelecer as bases das iniciativas de transição;
  4. Organizar um evento oficial de lançamento da ideia;
  5. Formar grupos de trabalho em temas específicos;
  6. Facilitar o envolvimento de toda a comunidade;
  7. Desenvolver materiais tangíveis de transição;
  8. Facilitar a requalificação de habilidades locais;
  9. Construir uma ponte entre a comunidade e o governo;
  10. Honrar os anciãos da comunidade e seguir seus conselhos;
  11. Manter sempre a flexibilidade e a resistência à mudanças;
  12. Criar um plano de ação de economia energética.

 

Esses passos devem estar baseados nos três R’s que guiam o conceito das cidades em transição: a Relocalização, a Regeneração e a Resiliência. Essa última tem papel essencial na constituição de uma Transition Town: é a capacidade de suportar o choque do lado de fora e seguir firme em seus ideais, acreditando nos pequenos resultados. Um desafio e tanto no mundo em que vivemos, certo?

 

Nessa conferência TED com Rob Hopkins, você pode conhecer ainda mais o conceito das cidades em transição.

 

Benefícios práticos das Transition Towns

Justamente motivados pela resiliência, os agentes das mudanças de transição tomam uma visão realista, mas positiva do que vem pela frente. Diante de previsões apocalípticas para os próximos anos, acreditam fortemente que a ação transformadora de comunidades e o trabalho árduo podem mudar muito as estatísticas.

 

transitions-towns_beneficios

 

São muitas as vantagens de implantar o modelo de transição, mas podemos destacar quatro delas:

 

  • Equilíbrio das mudanças climáticas: o movimento acredita na diminuição do aumento da temperatura global para índices menores que 2ºC. Isso está diretamente ligado a mudança de nossos hábitos de consumo, lembra?
  •  

  • Independência do petróleo: o movimento crê que a proatividade de cada um de nós é capaz gerar soluções energéticas que impactem nossas vidas de maneira mais positiva. É preciso aumentar nossa resiliência para lidar com imprevistos energéticos no futuro.
  •  

  • Extinção da economia distorcida: o movimento luta pela promoção do consumo local, a fim de fortalecer economicamente as comunidade. Acredita que a mudança está em nossas mãos, precisamos agir por nós mesmos.
  •  

  • Fim do mito da expansão infinita: o movimento acredita que o global é um reflexo do local, por isso, ao liberar o gênio coletivo da comunidade, é possível desenhar novas formas de viver (com mais futuro!). Colaboração é tudo, não é mesmo?

 

Transition Towns Network: transformação em rede

“Um movimento de comunidades unidas para reimaginar e reconstruir o mundo”. É assim que a Transition Towns Network denomina seu trabalho. E, se esse objetivo parece utópico ou ousado, saiba que mais 1400 comunidades, em mais de 50 países, já estão colocando a mão na massa para fazer acontecer.

 

Recuperar a economia, incentivar o empreendedorismo, repensar os modelos de trabalho e tecer conexões fortes são apenas alguns dos resultados já alcançados, tanto em espaços pequenos como escolas e vilas, quanto em grandes bairros e cidades inteiras. Este, aliás, é o caso da pioneira Totnes.

 

Transition Town Totnes (TTT)

A cidade do futuro. Não há melhor maneira de definir o primeiro município realmente em transição. Como citado anteriormente, Totnes, localizada na região sul da Inglaterra, foi cenário para Rob Hopkins aplicar todos os conceitos originários das Transition Towns.

 

Rob mudou-se com a família para a região em 2005 e detectou algo importante: a alta dependência de combustíveis fósseis. A partir desse cenário criou diretrizes de mudança e estipulou um objetivo: até 2030, a cidade deve utilizar apenas recursos renováveis, deve ter seus hábitos de consumos voltados somente para o local e deve instituir a educação das novas gerações como peça-chave.

 

Os resultados já podem ser notados e a prática deu tão certo que serve de inspiração para muitos outros lugares. Inclusive, a criação de um artefato para estimular a economia local, a Libra de Totnes (dinheiro fictício), é levado como exemplo a ser aplicado em comunidades que precisam movimentar a produção interna – e, claro, diminuir o consumo de energia e transportes.

transitions-towns_libra-totnes

 

Histórias de transição próximas a você

Se você pensa que iniciativas como a de Totnes só acontecem em países da Europa, está muito enganado! Elas podem estar muito mais perto do que você imagina. Quer acompanhar locais onde a transição já está a pleno vapor? A Rede IberoAmericana de treinadores e articuladores da Transition Towns mapeou iniciativas de transformação em toda a América Latina. Vale a pena conferir e pesquisar sobre cada uma delas!

 

transitions-towns_mapa

Clique aqui para ver o mapa interativo

Brasil: iniciativas de transformação

E, sim, você pode ver alguns pontinhos coloridos sobre nosso país. Isso porque a iniciativa das cidades em transição também já aterrisou em terras brasileiras e, desde 2009, vem transformando a realidade de alguns bairros e comunidades, principalmente na região sudeste.

 

O caso de maior destaque é o do bairro de Brasilândia, em São Paulo, composto por mais de 100 favelas. Desde 2010, a produção de hortas e panificadoras comunitárias, cursos de arte, feiras de troca, mutirões de limpeza vêm incentivando, desde então, a conservação do meio ambiente, a geração de renda, a segurança alimentar e a economia solidária. Um exemplo superlegal de seguir!

Para saber mais

Se, assim como nós da Wikihaus, você também ficou motivado pela iniciativa das cidades em transição, siga as dicas abaixo para embarcar em uma pesquisa mais aprofundada sobre o tema.

Você também pode gostar disso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *