Quando vale a pena financiar o apartamento ou comprar à vista?

Quando vale a pena financiar o apartamento ou comprar à vista?

Na hora de fechar negócio, algumas pessoas optam por pegar todo o seu dinheiro para investir na compra à vista. Nesse caso, elas se desfazem de alguns patrimônios (carros, terrenos, aplicações) para satisfazer esse propósito. Outras decidem financiar, pois não há tempo (ou patrimônio a ser liquidado) para conseguir somar capital para a compra do imóvel.

 

Mas qual é a postura mais inteligente na hora de comprar uma casa ou apartamento? A gente responde: as duas opções são válidas, e dependem muito de como impactam a sua vida financeira.

 

Continue a leitura e descubra qual é o melhor caminho para você.

 

Comprar à vista ou financiar o apartamento?

A resposta para essa pergunta é: depende. Se você está comprando o seu primeiro imóvel, geralmente vale mais a pena economizar e comprar à vista. Mas, se você tem um apartamento ou casa para dar de entrada, pode valer a pena financiar a diferença.

 

Quem tem o dinheiro na mão consegue negociar melhor?

Isso não é uma verdade absoluta. No caso de imóveis novos, conforme o estágio da obra, o incorporador pode ter mais ou menos interesse em acelerar algumas vendas: na planta para alavancar a obra, no final para liberar as últimas unidades.

 

Às vezes, o vendedor prefere pegar uma entrada maior (mesmo que o valor total seja inferior ao pedido) mas ter o dinheiro em mãos, do que receber em parcelas, mesmo que seja um valor maior. E, em períodos onde a oferta de crédito está em alta, o vendedor pode optar por esperar, para ter o valor cheio, conforme gostaria.

 

Comprar um imóvel à vista pode ser muito vantajoso se o investidor estiver diante de uma boa oportunidade de negócio, capaz de trazer uma margem de lucro satisfatória.

 

O melhor jeito de explicar é fazendo algumas contas.

Para o cálculo precisamos levar em consideração:

  • o valor do imóvel
  • o percentual (%) da entrada
  • o prazo do financiamento, taxa e valor da parcela
  • o prazo para entrega das chaves (quanto falta para o fim das obras)
  • o valor de aluguel de um imóvel similar ao que você deseja
  • a rentabilidade possível com um investimento

 

Primeiro calcule quanto vai custar o apartamento financiado. Some o valor pago à incorporadora (entrada + parcelas durante a obra) com o valor pago ao banco no financiamento, e terá o custo total do imóvel.

 

Em seguida, calcule quanto tempo levaria para acumular o valor necessário para comprar o mesmo apartamento à vista. Neste caso, durante um período, você alugaria um imóvel e economizaria a diferença entre o aluguel e a parcela do financiamento, para saber em quanto tempo conseguiria juntar o valor suficiente para comprar o mesmo imóvel à vista. Na maioria dos casos, é possível acumular o valor necessário para a compra do imóvel à vista em bem menos tempo (em geral, menos da metade do tempo!) do que levaria para pagar o financiamento.

 

Mas a gente sabe que isso exige um grande e longo sacrifício financeiro, e nem sempre é possível. Nesse caso, o financiamento aparece como uma alternativa. O recomendado é dar como entrada pelo menos 30% do valor do imóvel. Assim, será possível negociar melhores condições com o banco. E aqui vale lembrar que, quanto menos você financiar, menor serão os juros e mais rápido você ficará livre da dívida.

 

Use o FGTS sempre que possível

Recorra ao seu FGTS para quitar, parcial ou completamente, o saldo devedor do empréstimo. A grande vantagem do Fundo de Garantia é poder utilizar um recurso que tem baixo rendimento – cerca de 3,6% ao ano – para diminuir uma dívida onde, normalmente, são cobrados juros maiores.

 

Trocar o aluguel pelo financiamento: quando vale a pena?

 

Provavelmente o valor que você gasta em aluguel corresponde a uma parcela de um financiamento imobiliário. Mas ao pagar aluguel, você não tem retorno desse valor – você não está investindo dinheiro, e sim pagando por um serviço.

 

Já no financiamento, o valor pago mensalmente é um investimento que traz ganhos futuros e imediatos. Os ganhos futuros: você poderá vender o imóvel, convertendo-o em capital. O ganho imediato: no caso de um imóvel pronto, você pode usufruir da casa enquanto paga o financiamento – o valor da parcela pode substituir o aluguel pago mensalmente.

 

Geralmente, só não valerá a pena trocar o aluguel pelo financiamento se você não tiver certeza se deseja viver naquele local por algum tempo. Ou se você cogitar comprar um imóvel na planta, quando aluguel e prestação deverão se somar – isso tornará o processo tão pesado quanto poupar para comprar à vista

 

Estude todas as possibilidades antes de comprar

Muitas vezes, o rendimento de uma aplicação pode pagar uma parcela de financiamento imobiliário e ainda render um valor mensal. O pior erro é agir com impulsividade, desconsiderando a possibilidade de fazer um investimento enquanto paga por um imóvel.

 

Eventualmente, as taxas de financiamento podem soar bastante atrativas, principalmente se comparadas à taxa básica de juros – SELIC. Não vamos entrar em fórmulas e cálculos detalhados aqui, mas sempre que a taxa SELIC estiver 20% maior que a taxa do financiamento habitacional, o financiamento é recomendável.

 

Por exemplo: uma taxa SELIC de 14,25% a.a e uma taxa de financiamento de 11,00% a.a. Neste caso, a SELIC está 29,55% maior que a taxa de financiamento. Sendo assim, vale mais a pena financiar a maior parte e deixar o dinheiro aplicado, ou seja, fazer um misto entre aplicação financeira e financiamento.

 

E então, quando comprar à vista e quando financiar o imóvel?

A grande verdade é que nas duas opções será necessário um sacrifício. Você pode optar por fazê-lo antes, poupando e investindo seu dinheiro por livre e espontânea vontade para comprar o imóvel à vista, ou ainda com o menor endividamento possível. Ou, você pode comprar financiado e passar um bom período fazendo sacrifícios para pagar o imóvel, os juros do banco e suas taxas.

 

O que importa aqui é que você tome sua decisão ciente e consciente daquilo que está escolhendo para si e para sua família. Se faz sentido comprar à vista, faça-o! Se faz sentido financiar, seja feliz. Se faz sentido alugar, seja feliz também. O que não vale é decidir sem levar tudo isso em conta.

 

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Não sabe se casa, compra uma bicicleta ou um apartamento? Converse com a gente. Nossos especialistas poderão ajudar muito na escolha das melhores alternativas.

NENHUM COMENTÁRIO

ENVIAR UM COMENTÁRIO