Compre bem: Os fatores que contribuem para a valorização do imóvel

É bom comprar apartamento. Dá trabalho, mas também dá uma sensação muito boa quando encontramos aquele lugar que sempre imaginamos. E tudo fica ainda melhor se, com o passar do tempo, o imóvel passa a valer mais. Não apenas sentimentalmente falando, mas também sob uma avaliação do mercado. Comprar um imóvel mesmo que seja para morar é, sim, um investimento. Pense nos fatores que podem valorizar ou desvalorizar o preço do empreendimento ao longo do tempo. Ver seu patrimônio valorizado numa eventual venda futura é o melhor sinal de que você realizou uma boa compra. 

 

Mas o que precisa ser observado na hora de avaliar uma oferta? Continue a leitura do nosso post e descubra os principais fatores que contribuem para a valorização de um imóvel. 

 

O QUE VOCÊ VALORIZA NEM SEMPRE É O QUE O MERCADO VALORIZA 

 

Aqui temos um ponto bem importante: ao avaliar o potencial de valorização de um imóvel, os parâmetros do mercado se sobrepõem aos valores que são específicos para você – itens muitas vezes variáveis e intangíveis.  Isso quer dizer que morar perto do seu trabalho ou da escola do seu filho faz sentido para quem trabalha no mesmo local que você, ou tem filhos na mesma escola do seu. 

 

Por outro lado, quase todas as pessoas valorizam lugares tranquilos, junto a praças e conveniências. Orientação solar, vista e andar, também. Assim como todos valorizam a qualidade do imóvel e os custos de condomínio e manutenção que virão com ele. 

 

Conheça agora os pontos mais considerados na avaliação. 

  • Localização: escolha sempre boas localizações. Prédios modernos e bem localizados, próximos a centros urbanos ou em localidades em desenvolvimento, são a chave para garantir um bom investimento. Bairros com boa infraestrutura, que contemplam opções variadas de trabalho, consumo e lazer geram valor financeiro em situações de aluguel e venda. Eles são, e sempre serão, muito valorizados no mercado imobiliário. 

 

O valor do metro quadrado varia de região para região. A relação é óbvia: quanto mais valorizado o terreno, mais vale o imóvel. O tipo de bairro, as condições das vias de acesso, a presença de linhas de transporte público e, principalmente, a disponibilidade de serviços nas redondezas, como escolas, restaurantes, farmácias, padarias e supermercados, são itens levados em consideração no momento de fixar o preço final do imóvel. 

 

Uma boa rede de comércios e serviços valoriza a localização do imóvel. Além de ser mais conveniente ao reduzir seus deslocamentos, é um atrativo a mais poder contar com essas facilidades no dia a dia, de maneira prática e rápida.  Considere o mesmo para academias, agências bancárias, hospitais e farmácias e outras lojas de produtos e prestadores de serviços. 

 

Avalie também o crescimento da cidade e para onde ele se direciona. Não procure algo na direção contrária desse movimento, que possa perder valor no futuro. Pesquise sobre os investimentos em infraestrutura que o bairro deve receber nos próximos anos. Obras como uma nova avenida, a construção de um shopping próximo ou duplicação de alguma via, por exemplo, são alguns pontos que tendem a valorizar o preço do metro quadrado. 

 

  • Diferenciação traz liquidez: imóveis que apresentam diferenciais relevantes para os moradores, costumam ser mais valorizados no mercado. Imóveis “commodity” (isto é, produtos com baixo valor agregado) têm seu preço determinado pelo imóvel vizinho – que é exatamente igual e, portanto, deverá valer a mesma coisa. 

 

Sempre que possível, opte por edifícios modernos. Tratamento acústico, pisos aquecidos, base para automação residencial, áreas de lazer bem elaboradas são alguns dos fatores que fazem parte da realidade de novos imóveis e contribuem para a valorização de seu investimento. Uma vista definitiva também garante um acréscimo no preço de venda. 

 

  • Orientação solar: a posição do apartamento com relação ao sol naturalmente agrega valor ao imóvel. Em geral, os imóveis que recebem o sol da manhã ficam mais agradáveis à noite, e são mais valorizados do que os que recebem o sol da tarde (estes ficam muito quentes por um período maior do dia). Os andares mais altos costumam ser valorizados pela vista privilegiada, menos barulho e mais ventilação – que também evita o surgimento de umidade no local. 

 

  • Qualidade do imóvel: engloba tudo que diz respeito à qualidade geral do imóvel, do tempo de construção à qualidade da obra, do estado de conservação ao tipo de esquadrias e instalações utilizadas. 

 

Esse ponto pode fazer com que seu preço diminua, mesmo que seja bem localizado ou espaçoso. Esse costuma ser o caso de imóveis antigos, que tendem a ter problemas de fiação e encanamento.

 

Acabamentos: observe a qualidade dos materiais, a harmonia entre eles e a concordância com o estilo da construção. 

 

Planta: flexibilidade e aproveitamento contam. Cômodos e espaços bem distribuídos permitem melhor aproveitamento da área útil e tendem a ser mais valorizados, mesmo que o imóvel seja menor. 

 

Estado de conservação: outro fator muito relevante para a valorização. Se o imóvel acabou de ser reformado e recebeu diversas melhorias (como armários embutidos, por exemplo, renovação da rede elétrica e outros) é normal o valor estar mais alto do que outros similares na mesma área. 

 

  • Infraestrutura: condomínios com itens de lazer são bons para toda a família. Piscina, sauna, academia, salão de jogos ou de festas, área gourmet e jardins são sempre procurados. Ter um espaço para deixar os filhos brincarem com segurança, sem sairem de casa, pode representar uma boa economia em mensalidades de clubes ou idas a shippings, por exemplo. Inevitavelmente, isso acaba valorizando o imóvel. Vagas de garagem: se são amplas e cobertas, isso acrescenta pontos na hora da valorização. 

 

  • Segurança: um dos aspectos que mais valoriza um imóvel nos dias de hoje é a segurança que ele proporciona. Seja por estar em uma região com baixos índices de criminalidade, seja por tem em sua estrutura aparatos de segurança (câmeras, porteiro, cerca elétrica, alarmes…), imóveis seguros são mais procurados no mercado, principalmente por famílias. 

 

  • Possibilidade de reformas: reformas trazem mais funcionalidade à casa, e servem para atender as expectativas do mercado, como a troca de acabamentos antigos por novos. Imóveis que oferecem a possibilidade de se realizar obras para reforma ou expansão também são mais valorizados. 

 

Mas cuidado: alterações de cunho pessoal (aquelas feitas somente de acordo com as suas necessidades) devem ser evitadas. Se o que você procura é diferente do que o resto do mercado procura, isso pode causar dificuldades de venda no futuro, o que faz o preço do local cair. 

 

FALANDO EM DESVALORIZAÇÃO… 

 

Fique atento a alguns fatores que espantam potenciais compradores e podem jogar o valor do imóvel lá embaixo: -vizinhança incômoda e barulhenta -garagem problemática, com vagas presas ou difíceis de manobrar  -pouco afastamento lateral: imóveis construídos muito próximos uns dos outros, e casas cercadas por edifícios são menos procurados porque oferecem menos privacidade aos moradores. 

 

É claro que a valorização do imóvel leva em conta outros fatores (número de cômodos e andar, por exemplo). Mas o principal que você precisa saber é que um bom imóvel tem potencial de aumento de preço acima da inflação. E sabe onde isso geralmente acontece? Justamente nos imóveis diferenciados, de boas localizações, que costumam ser construídos por empresas sólidas e sérias e, por isso, têm maior liquidez e preço competitivo… 

 

Gostou das dicas? Já viu seu investimento imobiliário se valorizar por escolhas acertadas que você fez? Então compartilhe sua história com a gente, aqui nos comentários. A gente vai valorizar muito! 

Você também pode gostar disso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *