Casamento, filhos, aposentadoria: Saiba quando está na hora de mudar

Qual é a hora certa de mudar? Essa é uma pergunta que só você pode responder. Afinal, não existe fórmula para determinar o melhor momento para trocar de casa. É o seu momento de vida e as suas necessidades (e da sua família também) que determinam isso. Mais um cômodo ou menos espaço? Mais perto do trabalho ou mais perto da natureza? Essa situação pode acontecer por uma série de motivos. Confira a seguir alguns sinais que podem indicar que esta hora chegou para você. 

 

11 BOAS RAZÕES PARA MUDAR DE APARTAMENTO 

 

Às vezes, mudar é mais urgente que nunca. Pode ser que a casa pareça pequena (ou grande) demais ou que já não atenda às necessidades. Uma mudança no trabalho, na escola dos filhos ou até na rotina podem ser aspectos que tornam o local onde você mora menos interessante. Nesse sentido, há vários aspectos que trazem aquela sensação de que chegou a hora de procurar outro lugar para morar. 

 

1 – Você vai casar ou morar junto Essa decisão é um grande sinal de que está na hora de trocar de imóvel. Nem sempre é possível um se mudar para a casa do outro, e aí vocês precisam definir, juntos, um terceiro endereço, que seja bom para ambos, de preferência mais vantajoso em relação a qualidade de vida, conforto, localização e custos. Se você pretende dividir o mesmo teto com sua cara-metade, a mudança de endereço provavelmente vem como consequência.

 

2 – Crescimento da família

Você vai casar e quer ter seu próprio “canto”? Ou, quem sabe, está pensando em aumentar a família e quer mais espaço? O casamento e a chegada de um filho são momentos que transformam completamente a nossa rotina. Falando em crescimento da família, isso também acontece quando as crianças viram adolescentes e desejam maior privacidade e independência. 

 

E nem sempre é possível otimizar o aproveitamento de espaços ou adaptar o lugar onde estamos morando. Nessas horas, a solução passa a ser a procura de um novo lugar, que atenda às novas necessidades que você vai ter pela frente. No caso de estar esperando um baby, o ideal é mudar para outro imóvel antes do nascimento da criança, para que sua família possa receber o novo integrante de maneira mais tranquila. 

 

3 – Down size: a família encolheu

E um belo dia você olha para os lados e vê a casa em silêncio. Os filhos cresceram e saíram em busca dos próprios caminhos. Aquela casa que viu momentos familiares memoráveis já está grande demais para você. É difícil tomar essa decisão, pois muitos valores emocionais entram na balança. Mas é importante considerar a possibilidade de mudar para um espaço menor e mais confortável. Isso pode representar uma redução de tempo e de custos com manutenção, além de provavelmente significar menores taxas condominiais e impostos. 

 

4 – Privacidade comprometida

Outra situação muito comum atualmente: a chegada de novos prédios na vizinhança. De uma hora pra outra, você vê um vizinho de vários andares morando ao seu lado. A casa térrea da vizinha deu lugar a um paredão, que não apenas está bloqueando a vista do seu terraço, como comprometendo a sua privacidade. É amigo, a solução para se livrar dos olhares indiscretos pode ser trocar de casa. 

 

5 – Falta de segurança

O aumento da violência é um problema que pode ser encontrado em praticamente toda grande cidade. A segurança pode interferir na sua qualidade de vida e da sua família. A busca por mais tranquilidade no dia a dia tem motivado muitas pessoas a desejarem mudar para condomínios em bairros mais seguros que, também por isso, acabam sendo mais valorizados. 

 

6 – O seu bairro atual é distante dos seus compromissos diários

Ninguém merece começar o dia ficando duas horas dentro de um carro. Ou tendo que acordar muito mais cedo para encarar um longo deslocamento em meios de transporte coletivo. Um trânsito ruim estraga o dia de qualquer pessoa. Enfrentar engarrafamento e demorar mais tempo para se deslocar afeta negativamente sua qualidade de vida, causando maior estresse e diminuindo o seu sono e o tempo que você tem em casa. E às vezes isso acontece simplesmente porque você mudou de emprego. Ou porque seu filho passou no vestibular e a faculdade não é tão perto quanto era a escola. Procure um bairro que permita deslocamentos menores ou mais fáceis. Uma localização mais interessante reduz o seu tempo gasto com o transporte. Morar próximo ao seu trabalho e à escola dos seus filhos torna a rotina menos desgastante. E você acaba “ganhando” mais horas úteis para o seu dia a dia. O ideal é mudar de casa para a escola ficar mais perto, facilitando o deslocamento dos filhos e contribuindo para dar a eles mais conforto. 

 

7 – Vizinhança complicada

A convivência em sociedade, às vezes, é complicada. Ter vizinhos barulhentos, por exemplo, pode atrapalhar seu sono, aumentar o seu estresse e, consequentemente, prejudicar a saúde. Em um condomínio, essa dificuldade de relacionamento pode ser resolvida pelo síndico. Se a sua relação com os vizinhos está gerando um desgaste físico e/ou emocional, o recomendado é procurar por um imóvel em que seja possível manter a comodidade de toda a família. 

 

8 – Desacordo com as regras do condomínio 

Você adora seu cachorro, mas o seu condomínio determinou que é proibido animais de estimação no prédio. Quem vive em condomínio está sujeito a regras de boa convivência. O local onde moramos geralmente acompanha fases da nossa vida e as principais mudanças. Se por algum motivo essas leis não fizerem mais sentido para você, considere como outro sinal. 

9 – Problemas estruturais do apartamento

A idade do imóvel também influencia. Se você precisa realizar manutenções com muita frequência em sua casa, isso pode ser um sinal de que está na hora de se mudar. Vazamentos, cupins, problemas com sistemas elétricos antigos, por exemplo, podem atrapalhar o sossego dos moradores e prejudicar seu orçamento, visto que você terá gastos com mão de obra e materiais de construção. 

 

10 – Você quer um upgrade na qualidade de vida

Você está bem na sua carreira. Já formou seu patrimônio básico e, há algum tempo, vive no seu primeiro imóvel. Seu poder aquisitivo aumentou e você quer 2 coisas: investir em mais qualidade de vida e ampliar do patrimônio da família. Este é o momento certo para adquirir um imóvel maior, mais confortável e em uma área mais valorizada – você e sua família merecem. 

 

11 – Você quer sair do aluguel

Você sabia que, em muitos casos casos, o aluguel tem o mesmo peso no orçamento que a parcela do financiamento? Você pode fazer uma simulação entre o valor do seu aluguel e o valor da prestação de um imóvel parecido com o que você está morando. Se, por exemplo, você paga R$ 1.000 de aluguel e o valor da prestação for R$ 1.000, não tenho dúvida, faça o financiamento e se mude. Se você estiver morando numa casa cujo aluguel é R$ 1.000, mas o financiamento dessa mesma casa for duas ou três vezes mais que o valor do financiamento, aí vale uma reflexão – às vezes, morar de aluguel faz muito mais sentido.  

 

NÃO COMPRE IMÓVEIS SEM ESTAR PLENAMENTE PREPARADO. 

 

Como deu para ver, existem muitos motivos que podem justificar uma mudança de apartamento. Mas não basta vontade, é preciso estar preparado para comprar. Não deixe de estudar as possibilidades nem de se planejar financeiramente. Lembre-se: o seu imóvel precisa se encaixar no seu plano de vida, e não a sua vida precisa se adaptar ao imóvel. 

 

Falando nisso, qual o seu momento de vida atual? Quais são seus planos para o futuro? Conte pra gente nos comentários. E não deixe de assinar nossa newsletter para receber no seu email boas dicas sobre imóveis.

Você também pode gostar disso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *