APRENDA COMO AVALIAR BEM A PLANTA DE UM IMÓVEL.

APRENDA COMO AVALIAR BEM A PLANTA DE UM IMÓVEL.

Na hora de procurar apartamento, você vai acabar olhando muitas opções. Tem que ser assim, mesmo que boa parte da sua pesquisa aconteça pela internet. E não vai ser difícil encontrar boas alternativas em imóveis vendidos na planta.

 

A questão é que nem sempre você vai poder contar com um apartamento decorado para poder sentir como vai ser viver naquele lugar. Nessa hora, saber avaliar a planta do apartamento pode ser muito útil para definir rapidamente se aquele imóvel atende ou não às suas necessidades. Conforme o resultado, você nem perde a visita.

 

Até aí, tudo certo. Só um pequeno detalhe: a maioria das pessoas não tem o hábito de analisar plantas. Muito menos de comprar imóveis com frequência. Então, como avaliar uma planta e quais detalhes analisar antes de fechar negócio? Confira a seguir no nosso post.

 

A PRIMEIRA PERGUNTA: VOCÊ SABE O QUE É A PLANTA?

 

A planta, ou planta baixa, é a forma de representar a estrutura de uma casa. Imagine que você está olhando uma casa de cima, e conseguiu tirar o telhado e a laje para ver o interior. É um desenho feito em escala que ilustra como será a distribuição de espaço entre cômodos, pisos, ambientes internos e externos, os acessos.

 

Além de permitir essa visualização dos espaços, a planta é uma forma eficiente de avaliar vários detalhes importantes: vai dar para acomodar a mobília que você já possui? Há um bom aproveitamento da luz natural? Você vai querer integrar ou adaptar algum ambiente?

 

LENDO A PLANTA.

 

Muitas plantas baixas são desenhadas com uma sugestão de mobília e elementos básicos (chuveiro, vaso sanitário, local do fogão…). Isso serve para mostrar o potencial do espaço. Fique atento, principalmente em apartamentos menores. Analise a escala dos espaços e, também, dos móveis. Ao redor do desenho, você encontrará as medidas de cada parede ou cada cômodo, qual a distância entre parede e porta, e assim por diante.

 

Cada cômodo traz escrito o que ele será: quarto, cozinha. As portas são representadas por um traço grosso e contínuo com um arco. Esse arco mostra para que lado a porta deve abrir e marca o espaço de abertura dela. As larguras mais comuns de porta são: 70cm para banheiros, 80cm para cômodos internos e 90 cm para as portas externas. Caso isso não esteja na planta, questione quem estiver apresentando o empreendimento para você.

 

O QUE OBSERVAR AO AVALIAR A PLANTA?

 

  • Distribuição dos cômodos

Observe a distribuição de espaço entre os cômodos. Alguns apartamentos possuem, por exemplo, quartos minúsculos e banheiros enormes, o que faz com que o imóvel tenha grandes áreas inutilizadas.

 

Nessa mesma linha, um outro ponto: quanto as áreas de circulação do apartamento representam na metragem privativa? Um apartamento de 60m2 que tenha um corredor de 10m2 acaba oferecendo menos área realmente útil. Eventualmente, é mais interessante uma planta de 55m2 sem corredor, por exemplo. Outras vezes, você vai encontrar plantas onde todos os espaços foram bem aproveitados, porém os cômodos são pequenos.

 

Seu jeito de viver também influencia essa análise. Se você gosta de receber os amigos ou ficar com toda a família, uma área social generosa faz mais sentido. Procure por plantas com livings amplos, existem ótimas opções. Neste caso, geralmente os quartos acabam sendo um pouco menores.

 

Você pode preferir uma suíte enorme e um closet, mesmo que, para isso, precise integrar living, cozinha e varanda. Sua empresa está proporcionando flexibilidade de horário? Home office também? Nesse caso, procure na planta um espaço para organizar suas coisas de trabalho, e até mesmo para receber algum contato ou realizar uma pequena reunião.

 

  • Distribuição dos móveis

Tente imaginar como seria a distribuição da mobília nos espaços do apartamento. Você pode se deparar tanto com situações onde não vai conseguir acomodar seus móveis como situações em que a planta parece ter sido feita sob medida para eles.

 

  • Pisos e pavimentos

Se o imóvel tem mais de um pavimento (como coberturas ou duplex), você precisa analisar a planta de cada um. Não deixe de avaliar cada uma, principalmente se precisar fazer adaptações e reformas futuras.

 

  • Orientação solar e aproveitamento da luz natural

As aberturas são amplas? Isso permite a entrada de luz natural e ventilação durante diferentes momentos do dia. Além de deixar os ambientes mais acolhedores, também representa uma economia com luz no fim do mês.

Sobre a posição do apartamento com relação ao sol, os que recebem o sol da tarde têm mais chances de ficarem muito quentes por um período maior do dia. Em geral, os imóveis que recebem o sol da manhã são mais valorizados.

 

  • Espaços externos

Algumas plantas também ilustram a sua vaga de garagem e os espaços comuns do condomínio (salão de festas, piscina e academia, playground)… Mas nem sempre elas são apresentadas. Por isso, ao avaliar a planta da unidade, pergunte também sobre a existência de plantas dessas áreas.

 

A PLANTA DO MOMENTO.

 

A gente está vendo um monte de transformações acontecendo por todos os lados. É interessante analisar que as mudanças da sociedade refletem em novos modelos de plantas e apartamentos. Há 30 anos, um apartamento de 70 m² era considerado pequeno. Hoje, é grande.

 

No mesmo período, vimos os modelos familiares se multiplicarem e cada vez mais as pessoas se voltarem para o lar, principalmente pela ausência de segurança em grandes cidades. Isso vem permitindo também uma mudança radical na planta dos imóveis. A forma de morar das pessoas vêm se tornando cada vez mais prática e funcional, e esse estilo de vida também pede uma resposta das incorporadoras.

 

Ter flexibilidade no layout do apartamento é uma boa pedida para quando você decidir mudar a decoração, precisar hospedar algum familiar, ou ver a família aumentar com a chegada de um baby. São as suas necessidades que ditam o que é importante ou não. Uma planta versátil facilita a convivência e permite adaptar a casa à uma nova rotina, sem precisar mudar.

 

As áreas comuns do prédio também mudaram. Em muitos condomínios, a área de serviço dos apartamentos está sendo substituída por máquinas de lavar e secar compartilhadas. Prédios com infraestrutura mais inteligente oferecem um uso mais coerente das áreas comuns. Isso possibilita viver melhor mesmo em uma planta de metragem menor, com a vantagem de pagar menos no IPTU e no condomínio.

 

Avaliar a planta de um apartamento é uma experiência que mexe com a nossa imaginação. Mas antes de avaliar bem uma planta, você precisa avaliar qual o momento atual da sua vida. Reflita sobre onde você está agora e qual caminho deseja seguir num futuro próximo. Entenda o que você precisa. Como vai ser sua rotina ali dentro?

 

Assim fica mais fácil saber que tipo de planta de apartamento se encaixa mais no seu perfil.

 

Você já teve alguma experiência avaliando plantas? Então compartilhe sua história aqui nos comentários.

NENHUM COMENTÁRIO

ENVIAR UM COMENTÁRIO