Qual o melhor lugar para morar? Aprenda a avaliar se um bairro é bom

Qual o melhor lugar para morar? Aprenda a avaliar se um bairro é bom

Escolher o melhor lugar para morar envolve questões que vão além da quantidade de quartos e o valor do metro quadrado. A localização é um dos fatores mais importantes, ao lado do valor do imóvel e das condições de pagamento. Mas qual é a receita para um bairro ser bom? Bairros que combinam diferentes perfis de moradores, comércio, escritórios, opções de cultura, diversão e escola, com fácil acesso, estão sendo mais valorizados hoje em dia. Se você está em um momento de busca de um imóvel, veja dicas de como escolher a melhor vizinhança para morar.

 

•  BUSQUE UM EQUILÍBRIO ENTRE LOCALIZAÇÃO, PREÇO E CONVENIÊNCIA  •

O bairro é lindo, os prédios são ótimos, a região é segura, plana, tem infraestrutura, e o apartamento que você encontrou tem o tamanho ideal, tanto na metragem quanto no preço. Nesse caso, pode comprar! Você está diante de uma oportunidade que tem todos os ingredientes da receita para um bairro prosperar. Mas a gente sabe que nem sempre é assim, e não é nada fácil tomar essa decisão.

 

Pra facilitar as coisas, organizamos algumas dicas que devem ser levadas em consideração na hora de escolher o melhor bairro para morar.

1.   Saiba quais são as suas preferências

O primeiro e mais importante passo é sempre definir suas preferências e, principalmente, as suas necessidades. Isso deve servir como ponto de partida em sua busca pelo melhor bairro para morar. De nada adianta encontrar o apartamento perfeito se na hora de conhecê-lo pessoalmente você descobre que o local não oferece o que você precisa.

 

Quem prefere lugares mais movimentados, com vida noturna agitada, ou quem gosta de frequentar lojas variadas, certamente vai se identificar mais com bairros que apresentem características mais comerciais do que com aqueles estritamente residenciais. Já quem prefere sossego e distância dos locais badalados, vai gostar mais de bairros encontrados mais afastados dos grandes centros comerciais. Mas não seja muito radical. O ideal é conciliar as coisas e procurar bairros com características intermediárias.

 

O lugar onde você mora exerce grande influência sobre a sua qualidade de vida. Qualquer escolha nesse sentido deve ser feita respeitando uma série de critérios que precisam ser definidos antes mesmo de começar a busca pelo novo lar.

 

2.     Pesquise bastante

Use a internet a seu favor. Ela pode ser uma grande aliada na hora de pesquisar. O mercado oferece muitas opções, tanto de imóveis, quanto de preços e bairros diferentes. Você pode encontrar os mais variados tipos de informações online. E para fazer uma busca mais adequada, é importante definir bem os critérios, conforme comentamos na dica anterior.

 

3.     Faça um levantamento dos seus deslocamentos mais frequentes

Esse é um item bem importante para quem não abre mão de tomar café sem pressa, ler as notícias do dia e dar uma olhada nas redes sociais antes de sair de casa.

 

Prefira o bairro que permita deslocamentos menores ou mais fáceis. A rotina determina seu conforto e qualidade de vida. Considerar a distância ou o trânsito que você enfrenta para chegar aos pontos que precisam ser visitados diariamente pode significar menos stress e mais horas úteis no seu dia a dia. Um bairro mais próximo ao seu local de trabalho ou que tenha boas vias de acesso é mais conveniente do que outro que não apresente essas qualidades. Um bairro que ofereça a conveniência de mercados, academias e comércio ao redor com certeza facilitará sua rotina.

 

Não esqueça da mobilidade

 

Mobilidade tem tudo a ver com deslocamento. É uma coisa que vem tornando os bairros mais modernos e desejados. Mobilidade é um assunto que vai além de você poder se locomover de um lado para outro. A ideia é agregar eficiência no processo.

 

Por exemplo: espaços determinados como ciclovias, devidamente sinalizados, permitem que você vá à padaria e volte sem gastar dinheiro com transporte, sem emitir gases poluentes com o consumo de combustível e ainda faça uma atividade física no caminho. Em alguns momentos, o trajeto pode ser feito até mais rápido do que de carro.

 

Por isso, é tão importante ter em mente sua necessidade de deslocamentos. Com base nisso, você deve escolher o bairro que melhor se encaixa nessa logística diária.

 

4.      Acesso: principais vias e transporte público

Analise quais são as principais vias de acesso ao bairro. Avenidas ajudam o trânsito a fluir com mais rapidez, pra ninguém perder tempo no trânsito. Pesquise também se a região possui uma boa cobertura por linhas de ônibus, metrô ou trem, caso seja necessário em uma eventualidade. Mesmo que você possua carro, isso facilita o acesso a quem vem trabalhar na região. E ajuda muito quando você for receber visitas de parentes e amigos.

 

Falando em receber visitas, é interessante verificar se há vagas na rua (ou nas ruas próximas) para que eles possam estacionar o carro.

 

5.     Observe a infraestrutura

Um bairro autossuficiente é um aspecto muito interessante que merece ser valorizado. As regiões mais valorizadas possuem uma boa infraestrutura urbana (ruas calçadas, boa iluminação pública, redes de abastecimento de água e energia elétrica, esgoto, redes de tv a cabo, telefonia, internet, coleta de lixo diária). Mas autossuficiência não significa isolamento. Preste atenção na oferta de transporte público para o bairro, mesmo que você não utilize – considere que outras pessoas podem precisar, como ocorre com os empregados domésticos e outros prestadores de serviço, e até mesmo visitantes.

 

Fique atento à presença de prédios do governo e de serviços públicos, como tribunal de justiça e hospitais, pois é um detalhe que também valoriza um bairro.

 

6.     Avalie o comércio local

Imagine não precisar rodar a cidade para encontrar o que precisa. Poder passar no supermercado ou na padaria com maior frequência, na medida da sua necessidade. Assim, se precisar de uma garrafa de vinho ou se o café acabar, talvez você não precise nem tirar o carro da garagem para fazer as compras.

 

Uma boa rede de comércios e serviços valoriza a localização do imóvel. Além de ser mais conveniente ao reduzir seus deslocamentos, é um atrativo a mais poder contar com essas facilidades no dia a dia, de maneira prática e rápida. Considere o mesmo para academias, agências bancárias, hospitais e farmácias e outras lojas de produtos e prestadores de serviços.

 

Feira de rua

Ter uma feira perto de casa é ótimo. Você apoia a agricultura familiar, estimula a economia local e consegue ter em casa produtos sempre fresquinhos. Sem precisar pegar o carro! No entanto, quando a feira acontece na sua rua, isso pode se tornar um inconveniente semanal quando você precisar tirar o carro da garagem.

 

7.    Conheça a vizinhança

A qualidade da vizinhança pode definir sua alegria (ou desespero) de viver em um lugar. Observe tanto as pessoas que moram no prédio e no entorno, quanto as atividades empresariais da região. Repare no barulho das redondezas, assim como na rotina dos seus futuros vizinhos. Eles arrastam os móveis? Possuem animais de estimação agitados? Tem uma vida noturna agitada?

 

Nesse sentido, valem as suas preferências pessoais. Se você quer um lugar tranquilo para morar, vai considerar boa aquela vizinhança que respeita os horários e as regras da vida em comunidade. Mas você pode preferir vizinhanças mais agitadas, menos afeitas a padrões de comportamento pré-definidos. Qualquer que seja a sua preferência, procure um bairro que seja adequado ao seu estilo de vida.

 

8.     Existem escolas por perto?

Seu filho pode estudar perto de casa, o que significa menos tempo no trânsito todos os dias úteis da semana. Cheque quais são as escolas da região. Mesmo que ele ainda seja pequeno, se a intenção é de que ele cresça no bairro, é importante saber quais são as opções de educação ao redor.

 

Morar perto da escola do filho pode ser mais vantajoso do que residir perto do trabalho, porque é mais frequente um adulto mudar de emprego do que as crianças trocarem de escola.

 

9.     Lazer, vida social, natureza

Nem tudo é só trabalho, ou só estudo. A gente precisa de diversão, de descanso e de cultura. Viver em harmonia com a natureza. Mas ninguém deveria precisar atravessar a cidade para aproveitar opções de lazer, isso não tem nada de divertido ou prático.

 

Pense nas coisas que você gosta de fazer nas horas de folga. Estar próximo a shoppings, cinemas e clubes sempre colabora com a saúde da sua vida social.

Áreas verdes

A presença de parques, jardins e áreas verdes torna o lugar mais bonito. E geralmente proporciona ótimas alternativas de lazer e para praticar esportes ao ar livre. Além disso, essas áreas contribuem para equilibrar a temperatura ambiente da região, deixando-a mais amena e gerando uma melhor qualidade do ar. Consequentemente, você e sua família ganham qualidade de vida enquanto o imóvel valoriza.

 

10.     Não abra mão da sua segurança

Segurança é essencial. Preste muita atenção na infraestrutura de segurança que o bairro oferece. Locais bem iluminados, com presença de câmeras de segurança (públicas ou particulares) que contam com policiamento ostensivo, são mais seguros do que outros que não possuem essas características.

 

Para saber o quão seguro para se viver é um bairro, pesquise os índices de criminalidade da região. Confira a quantidade de notícias sobre os delitos mais comuns no local. Analisando o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) você tem algumas pistas: quanto mais alto o IDH, menor tende a ser o número de crimes e melhor a qualidade de vida dos habitantes.

 

11.  Caminhe pelas ruas e converse com as pessoas

Caminhar pelas ruas de um bairro é uma excelente maneira de conhecer como a vida funciona no local. Você pode observar de perto as características da vizinhança. Busque entender quais são os problemas da vizinhança e analise se eles estão dentro dos seus padrões. Aproveite e converse com os moradores da região.

 

Segurança, trânsito, alagamento e outras questões importantes… uma boa conversa de calçada pode revelar muito sobre um bairro. Conversar com outros pais ajuda a verificar se o local é bom para os pequenos.

 

12.    Preste atenção na qualidade das construções

Diga-me onde moras e te direi quem és… Para conhecer um pouco da qualidade de vida e das pessoas que vivem em um lugar, observe o seu conjunto de construções. De modo geral, lugares com construções mal conservadas costumam valer menos do que aqueles com fachadas e jardins bem cuidados.

 

13.    Faça visitas em diferentes horários

As características de um bairro podem variar bastante ao longo do dia. Pode ser muito tranquilo pela manhã, e insuportavelmente agitado à tarde ou à noite. Conheça a movimentação do lugar durante o dia, noite e final de semana.

 

Visite-o mais de uma vez em horários e dias diferentes. A luz da manhã pode mostrar o que não se vê quando está escuro. Fazer uma visita durante a noite também é uma amostra mais real do local. Neste período é possível observar se a rua é bem iluminada, e se a região é segura para se morar. Aos finais de semana, quando muitos moradores estão em casa, a vizinhança também pode mostrar um pouco mais a sua cara.

 

14.     Descubra o custo de vida da região

Fique atento ao valor do custo de vida da região. Isso pode impactar no padrão de qualidade de vida que você está acostumado. As áreas nobres são mais valorizadas, logo, tudo geralmente é mais caro se comparado aos mesmos produtos e serviços fornecidos em outras áreas.

 

15.    Estude o potencial de crescimento da área

Grandes empreendimentos, futura estação de metrô, novo shopping ou mais um parque… as áreas de desenvolvimento e valorização estão sempre mudando pela cidade. Analisar as perspectivas de crescimento e o potencial da área é uma ótima forma de investimento. Você compra pagando menos e depois pode vender por um preço mais alto.

 

16.     Olhe também para os bairros próximos

Quando for escolher um bairro, não considere apenas o que pretende morar. Observe também os bairros que o cercam. E vale fazer isso por pelo menos 3 razões. A primeira é que você pode encontrar uma oportunidade melhor ou ter certeza que fez a escolha certa. Outra razão é que você identificar um problema no futuro. Como em casos onde um bairro, nobre ou não, é rodeado por bairros mais carentes e com altos índices de criminalidade – o que pode tornar seu bairro alvo de assaltos, sequestros e outras atividades criminosas. E a terceira razão é de ordem prática: sua vida não está restrita ao limites do seu bairro. Muitas vezes são os bairros próximos que suprem boa parte do que não encontramos pertinho de casa.

 

Pra encerrar, a gente volta à primeira dica: defina sua prioridades e saiba o que você quer. Conhecer profundamente seu próprio perfil e da sua família é o melhor caminho para encontrar o melhor bairro para viver.

 

E por último, mas não menos importante: como é o melhor lugar para morar na sua opinião? Compartilhe sua história com a gente.

NENHUM COMENTÁRIO

ENVIAR UM COMENTÁRIO